27.5.08

opção familiar

A China desde os anos 70 adota a política de natalidade permitindo apenas um filho por casal. O país mais populoso do mundo anunciou ontem a reavaliação desta política após os terremotos ocorridos na última semana. A partir de agora, será permitido, àqueles que perderam seus filhos, terem outro, ou mesmo adotarem os que perderam seus pais na tragédia.

Enquanto isso, falta ao Brasil algum -eu disse algum, pois não há nenhum- planejamento familiar. A cultura educacional não planeja nadinha na hora de trazer seus rebentos ao mundo. Enquanto isso mulheres morrem em abortos e crianças são maltratadas pelos pais, como é visto até no programa Super Nanny!

Não que eu defenda uma política de natalidade, mas minimamente um planejamento familiar! Com tantas crianças abandonadas, será mesmo que todos possuem esse instinto paternal de trazer vidas ao mundo?

***

No Brasil, apesar de ser um pais laico e de algumas tentativas de implantação de planejamento familiar, o Centro de Pesquisa para política Econômica da Grã Bretanha mostrou que a família brasileira é formulada de acordo com outros moldes. De acordo com o CEPR, as novelas tupiniquins estão ditando os modelos de família, inclusive no número de filhos desejados pelos casais. Enfim... quem sabe os escritores se empenham mais na qualidade do folhetim pela influência que esse exerce no país, apoiando a adoção.


inspiração: site G1 e BBC brasil

Nenhum comentário: