7.5.08

faça o que eu digo, mas não faça o que faço

Não se pode negar as hipocrisias e contradições inerente ao ser humano. Agora, mais uma vez, estatísticas (não que eu realmente seja fã deste método) revelam que os abortos realizados no país por sua maioria são realizados por ditos católicos, em menores percentagem os espíritas e evangélicos (detalhe para o fato de que não existem índices nessa pesquisa para os ateus). Outro ponto levantado é que a maioria delas já possui filhos...enfim, a não lógica é intrínseca nesse tabu.

Vale aqui chamar atenção que o procedimento cirúrgico para o aborto é simples e rápido, mas não
permitido. Por isso, no país, não se limita a questão de planejamento familiar, mas também de saúde. Muitas mulheres morreram e morrem no país por fazerem o procedimento erroneamente. São mortes desnecessárias!

Mas afinal, seria o aborto um
assassinato? Depende de quando você acredita que começa a vida. Para um país laico, que acaba de liberar juridicamente as pesquisas em células tronco, é uma questão a ser debatida.

inspiração: folha online
leia também: quando a vida começa? _revista superinteressante


Nenhum comentário: